Podcast Sambarbudo #26 – O Sonhador que Colhe Berinjelas na Terra das Flores Murchas

By Marcos Lauro
13/08/2010
0


O entrevistado da vez é Junior Bellé, jornalista, escritor e camarada. Ele é o autor de “O Sonhador que Colhe Berinjelas na Terra das Flores Murchas”, livro que você pode comprar pelo e-mail sambarbudoproject@gmail.com.

Outros assuntos deste programa: blog Adoramos Mulheres, pessoas que se sentem um prédio e viagens em geral.

Além do papo maroto, este podcast-moleque aproveita para avisar: hoje tem a versão festa do Sambarbudo Project. Mais infos no fim do post.

Playlist
Rafael Castro e os Monumentais – Eu Amo Tuas Amigas;
Passion Pit – Let your Love Grow Tall;
Fito Paez – Ojos Rojos;
Fino Coletivo – Tarja Preta/Fafá

Fala, Povo!
A argentina Rocio Venegas pediu Demônios da Garôa – Trem das Onze

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Baixar mp3

O mp3 maroto está aqui.
—————————–

Rafael Castro e os Monumentais no Bleecker St. Na Vila Madalena. A abertura fica por conta das discotecagens de João Erbetta (vocalista do Los Pirata) e Sambarbudo Project (estes que vos falam).

Entrada: R$ 15
R$ 10 com nome na lista (Lista de desconto listamonumental@gmail.com)
Horário: 23h

Bleecker Street
Rua Inácio Pereira da Rocha, 367 – Vila Madalena
tel: (11) 3032-3697 begin_of_the_skype_highlighting              (11) 3032-3697      end_of_the_skype_highlighting

—————————–

Mais um trecho do livro do Bellé. A poesia que inspirou o misterioso nome:

o sonhador que
colhe berinjelas
na terra das
flores murchas

Onde vossa miséria é ourives do mundo
então, enquanto a rosa colora de roxo todo ouro impune
lá no alto, no píncaro dos pícaros, onde língua é afiada a facão
lê-se em violetas gigantescas:

ESQUECEU QUE PARA UM SONHO DE VERDADE SE PERDE A
VIDA INTEIRA?

E no instante em que dos olhos desaparece a cor desaparecida
nos olhares
a orquídea rega a beleza com o sonho esquecido
É a alma procurando-se entre os destroços
entre a carne, entre os ossos
entre a obscura pálpebra do coração em que a bromélia vasculha
os desejos
Pois é no útero estéril da ignorância
que se ilumina a grande fertilidade dos tolos
junto da líquida papoula que voa
o seu maldito e delicioso disparo de enganos
Assim o lírio oficial chora uma última assinatura
uma última mentira de envelope em seu envelope de mentiras

E ainda persiste este incômodo sinônimo de dor que é a vida
e prospera o transeunte girassol em seu magma púrpuro
cortejando a lua num lamaçal de estrelas

Comments: 0

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *