Engraçada, ela, né?

Amanhã o nosso craque Ronaldo se apresenta na sede do Corínthians, na Zona Leste de São Paulo. A entrada será um quilo de alimento não-perecível.

Comentário de uma colega de redação: “Pois é, depois de contratar o Ronaldo, o Corínthians vai gastar muito com comida, né?”.

qüem qüem qüem qüeeeeeem

Profissionalismo é isso aí!

Com tudo isso que vem acontecendo na minha vida ultimamente, uma característica que eu tenho (e sempre tive) acabou ficando mais forte: ser caseiro.

E é sempre assim mesmo. Quando algo vai mal, acabo ficando mais introspectivo. Me agarro com minhas músicas preferidas e fico em casa mesmo, ouvindo, ou então lendo. No final de semana, por exemplo, eu me resumo à visita no hospital/casa/visita no hospital. Talvez seja um modo de eu me concentrar no que está acontecendo, com todas as minhas forças.

No dia 19 terá festa de confraternização aqui da editora onde eu trabalho. Um dia antes, 18, toco com meu camarada Pedro Henrique Araújo na festa de final de ano da revista Viagem & Turismo. E, pra finalizar, dia 21 toco com o Pedro novamente, no nosso Sambarbudo Project, no Casa Club (Pinheiros). Estivesse eu e minha vida em condições normais, eu iria curtir muito toda essa agitação, mas agora vou por que tenho de ir. Na confraternização, pelo amigo secreto e respeito aos colegas. Nas festas, por profissionalismo. E farei minha parte da forma que tem de ser feita, pode ter certeza disso.

Jogando contra o patrimônio

Hoje o Blue Bus traz comentários sobre a matéria do New York Times sobre a “bolha” dos jornais. Impulsionados pelo aumento das vendas até o início desse ano, os jornais (e as empresas que os fazem) foram supervalorizados e agora, com a crise, estão reconhecendo o seu verdadeiro valor. Alguns, como o Los Angeles Times (do grupo Tribune), estão quebrando.

Mas o que eu acho engraçado nisso tudo é o jornal dando a notícia sobre o fim do jornal. O tom é quase de torcida, querendo que acabe mesmo. Pelo menos é essa a impressão que eu tenho. Um verdadeiro jogo contra o patrimônio.

Fã é uma praga!

Eu ainda não consegui entender a cabeça de um fã, desse que acampa no lugar de um show dias antes dele acontecer. Deve ser porque eu não faria isso por NENHUM artista, eu acho. Sem contar que isso é uma estupidez sem tamanho, né? Me lembro que fui ao segundo show do U2 no Brasil, aquele da turnê Vertigo, cheguei ao Morumbi umas duas horas antes do show e fiquei num lugar ótimo da pista. Não precisei nem comprar barraca de camping!

E que me perdoe o radicalismo, mas isso é coisa de vagabundo. Gente desocupada que não tem o que fazer, não tem onde trabalhar. E não é “desempregado” porque tem dinheiro pro ingresso. É vagabundo mesmo. E até que enfim, resolveram tomar uma providência contra esse pessoal:

Fãs da Madonna terão de sair do Morumbi até amanhã

Os fãs da cantora Madonna que acampam na área do estádio do Morumbi em frente à Praça Roberto Gomes Pedrosa, na zona oeste de São Paulo, terão de deixar o local até a manhã (10/12) de amanhã. A ordem partiu da Subprefeitura do Butantã. Caso se recuse a sair, o grupo poderá ter suas barracas apreendidas e receber multa de R$ 500. Segundo a Secretaria das Subprefeituras, além da ocupação indevida do espaço público, os fãs estão no ponto onde será montada a base de policiamento nos três dias de shows da cantora no estádio.

Yahoo Notícias Brasil

Como diria o elefantinho da Parmalat:

Tomou?

Réu do mensalão é preso com 361 mil euros em Guarulhos

da Rolha de S.Paulo

A Polícia Federal e a Receita flagraram o empresário Enivaldo Quadrado, 43, sócio da corretora Bônus-Banval, tentando entrar no Brasil pelo aeroporto de Cumbica, em Guarulhos (Grande São Paulo), com mais de 361 mil não declarados na madrugada de sábado.

Enivaldo tentava dar um Matrix no seu Quadrado quando foi visto pela Polícia Federal levando dinheiro em seu cueiro, em suas meias e seu cinto (eu disse “cinto”). O delegado Eletrógenes Queiroz (primo de Protógenes e Neutrógenes) está no caso.

Enivaldo já esteve na presença do presidente Lula, quando ainda fazia um trabalho free-lancer para uma famosa marca de pneus. Notem que, na foto abaixo, já haviam algumas protuberâncias estranhas em seu corpanzil. Procurado pela reportagem, Lula disse que nada viu.

Quadrado já se mostrava redondo. Notem a abertura
para colocar e tirar as notas, à direita do pneuzinho

Foto: Ricardo Stuckert / PR
Notícia original da Folha Online